Autenticação

Utilizador
Palavra-chave
 
 





















Área do utilizador

Agenda

« Maio 2021 »
D S T Q Q S S
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31

Portal Académico

Moodle@ESTGV

Avaliação e Qualidade

IPV

Provedor do Estudante

Publicitação Institucional

Ficha da Unidade Curricular

Informações Gerais

 
Ano Letivo 201516
Unidade Curricular Estruturas de Betão Pré-Esforçado
Código1224
Departamento/área responsávelDepartamento de Engenharia Civil
Área cientificaEngenharia Civil
ECTS4.5
Ano curricular2
Semestre curricular1º Semestre
Regime de frequênciaOpcional
Docentes Paulo Alexandre S. Costeira Marques Silva
Frequência como disciplina isolada?Sim
Horas de contacto
T TP PL TC S E OT O
19,5 39 - - - - - -
T - Teórico;  TP - Teórico-Prático;  PL - Prática e Laboratorial;  TC - Trabalho de Campo;  S - Seminário;  E - Estágio;  OT - Orientação Tutória;  O - Outras;  
Tempo total de trabalho (horas)
119,3

Objetivos / Competências

O principal objetivo da UC é preparar os alunos para o projeto e execução de elementos estruturais pré-esforçados, de acordo com os Eurocódigos.
No final da unidade curricular os alunos devem possuir:
- O conhecimento da norma europeia “Eurocódigo 2: Projecto de Estruturas de Betão”;
- O conhecimento das propriedades dos materiais e do comportamento dos elementos estruturais pré-esforçados;
- A capacidade para analisar e dimensionar vigas isostáticas pré-esforçadas;
- A capacidade para quantificar as perdas de pré-esforço;
- A capacidade para efetuar as necessárias verificações de segurança;
- O conhecimento das disposições construtivas referentes a estruturas pré-esforçadas;
- A capacidade para analisar e dimensionar estruturas hiperestáticas pré-esforçadas (vigas e lajes).
Consideram-se como competências a aquisição de conhecimentos relacionados com as diferentes técnicas de pré-esforço aplicadas a estruturas correntes, quer ao nível do dimensionamento como da execução.

Conteúdos programáticos resumidos

1. Introdução
Tecnologia do pré-esforço. Materiais. Aspetos gerais do betão pré-esforçado.
2. Análise de Secções Fletidas
Análise de secções em fase não fendilhada, fendilhada e à rotura.
3. Dimensionamento de Secções Pré-esforçadas
Critérios de dimensionamento. Traçado dos cabos.
4. Dimensionamento de Vigas Isostáticas
Dimensionamento com base em tensões admissíveis. Diagrama de Magnel. Escolha do n.º de cabos.
5. Perdas de Pré-esforço
Perdas instantâneas e diferidas. Representação gráfica das perdas totais.
6. Cargas Equivalentes de Pré-esforço
Definição de cargas equivalentes e aplicação do seu conceito.
7. Verificação da Segurança aos Estados Limites Últimos
Estado limite último de flexão e de esforço transverso.
8. Verificação da Segurança nas Zonas das Ancoragens
Esmagamento do betão. Modelos de escoras e tirantes.
9. Pré-esforço em Estruturas Hiperestáticas
Esforços hiperestáticos devido ao pré-esforço. Pré-esforço de vigas e lajes contínuas. Traçado de cabos.

Metodologias de ensino e critérios de avaliação

Método expositivo nas aulas teóricas com utilização do quadro e do videoprojector; resolução de exercícios práticos nas aulas teórico-práticas; intervenção permanente dos alunos, na colocação de questões pertinentes relativas às matérias abordadas; apoio aos alunos, nomeadamente, no horário de atendimento; utilização da plataforma moodle para a disponibilização do material de apoio da unidade curricular. Durante o semestre serão propostos exercícios para serem resolvidos pelos alunos fora das aulas e entregues no horário de atendimento. A resolução de dois terços dos exercícios propostos é condição de admissão a exame final. O desempenho do aluno nesses exercícios poderá ser tido em conta na classificação final. O exame final consiste numa prova escrita, de carácter individual, com consulta dos eurocódigos, cotada para 20 valores, na qual o aluno terá que obter uma classificação igual ou superior a 10 valores.

Bibliografia resumida

Barros, H., Figueiras, J.A., “Tabelas e ábacos de dimensionamento de secções de betão solicitadas à flexão e a
esforços axiais segundo o eurocódigo 2”, FEUP edições, 2010. [624.04 BAR]
Farinha, J.S.B., Reis, A. C., “Tabelas técnicas”, Edições Técnicas ETL, 2003. [62(083.53) FAR]
Lima, J.D., M onteiro, V., M un, M ., “Betão armado: Esforços normais e de flexão (REBAP-83), LNEC - Laboratório
Nacional de Engenharia Civil, 1985. [624.04 LIM BET]
NP EN 1992-1-1, “Eurocódigo 2 – Projeto de estruturas de betão. Parte 1-1: Regras gerais e regras para edifícios, 2010.
REBAP, “Regulamento de estruturas de betão armado e pré-esforçado”, Porto Editora, 1993. [351.71 POR]
Favre, R., Jaccoud, J-P, Burdet, O., Charif, H., “Dimensionnement des structures en béton – aptitude au service et
éléments de structures”, vol. 8, Presses polytechniques et universitaires romandes, 1990. [624.04 DIM ]
Figueiras, J.A., Curso de formação “Dimensionamento de Estruturas de Betão Pré-esforçado”, FEUP, 1993.

Oferta Formativa

Candidaturas

Matrículas CNA

Inscrições Letivas

Departamentos/Área

Serviços Académicos

Serviços Informática

Biblioteca

Redes Sociais Facebook e Google+

ESTGV no Facebook


ESTGVno Google+
Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu
Campus Politécnico
3504-510 Viseu

Telefone: +351 232480500
Fax: +351 232424651
E-mail: estgv@estgv.ipv.pt

Ver mapa maior